segunda-feira, janeiro 31, 2011

River...


Tudo tem o seu término. Faz parte da vida chegar a bom porto, mesmo que cedo... mas chegar. Esse é o objectivo base da vida! Não é o dinheiro, ou as propriedades ou até mesmo a quantidade de pessoas em que mandamos... é a alegria do caminho que nos leva ao final da nossa vida. Que se lixe o material, que se lixe a mesquinhez... Porque no rio que é o nosso inicio de vida, e agora no delta que é a nossa adolescência, maturidade e velhice, repleto de troços que reflectem as nossas escolhas, eu navego em barca simples. Viajo vagaroso mas faço as minhas escolhas. Remo para um lado ou para outro mas nunca contra a corrente. Por vezes balouço e quase encalho nos obstáculos da vida... mas continuo sereno. Não me apresso porque a vida tem o seu tempo certo, e o seu mecanismo jamais deu a hora errada. Deleito-me com a paisagem, com todas as possíveis escolhas que não sigo. Não me arrependo das minhas escolhas e sei que quando a minha vida terminar, quando o barco que é o meu corpo atingir o vasto oceano, dando por terminada toda a minha jornada, olharei para trás nos últimos momentos e deliciar-me-ei com todo o meu trajecto... e que viagem eu fiz!

15 comentários:

Bachelorette disse...

"Row row row your boat/ gently down the stream/ Merrily merrily merrily merrily/ Life is but a dream"

É preciso orientar o barco aproveitando a corrente, tomando partido das orientações que toma para chegarmos onde queremos. E durante a viagem muita gente irá saltar para dentro da tua barca simples para te acompanhar na viagem e ajudar a chegar onde queres. Eu já peguei num remo... :)

O AMIGO DE SEMPRE,AGORA ACAMADO disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
O AMIGO DE SEMPRE,AGORA ACAMADO disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Mário Castro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O BOM AMIGO,AGORA ACAMADO E DOENTE disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Mário Castro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O BOM AMIGO,AGORA ACAMADO E DOENTE disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
O AMIGO DE SEMPRE,AGORA ACAMADO disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
O AMIGO DE SEMPRE,AGORA ACAMADO disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
O AMIGO DE SEMPRE,AGORA ACAMADO disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Mário Castro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O AMIGO DE SEMPRE,AGORA ACAMADO disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Mário Castro disse...

Ora, todos caminhamos para o mesmo fim. Afinal, é por isso que decidi escrever este post. Estamos todos condenados ao mesmo... desde o dia em que colocamos a cabeça para fora do útero da nossa mãe.

Uma das coisas que acabei aprendendo na vida é que a mesma tem a sua relativa ironia. Lamentavelmente já perdi colegas bem novinhos... e curiosamente continuo a conversar com pessoas que pouco falta para atingirem os 100 anos.

E se o fim for apenas um reinicio?

Anónimo disse...

"olharei para trás nos últimos momentos e deliciar-me-ei com todo o meu trajecto... e que viagem eu fiz!"
É bom ouvir alguém a valorizar a escolhas que fez ou faz, pois hoje em dia o que se vê mais e ouve são queixas do que poderiam ter feito e não fizeram, tristeza pelas escolhas, inseguranças desnecessárias... Fizemos o melhor possível, com mais riscos e loucuras, com menos responsabilidade ou calma. Mas vivemos, vivemos alegremente, vivemos bem e continuamos a viver bem se olharmos para a frente com optimismo, com coragem que vai ser sempre melhor e assim acaba como dizes feliz com a viagem que fiz.

Mário Castro disse...

Nem mais caro "Anónimo". Sinceramente, por vezes tenho a sensação de que podia ter feito outra coisa, ou de outra forma... mas teria agora uma vida diferente, com amigos diferentes, com tudo diferente. E muito honestamente estou muito satisfeito com o caminho que trilhei. Opá, se não estou melhor na vida ou se não tenho mais dinheiro foram escolhas minhas, logo não tenho de andar aí feito coitadinho. É arcar com elas, tirar lições do que a vida me ensinou e não meter a pata na poça novamente. Ah... e ser sempre justo nas nossas decisões! Só aí, o barco segue logo pelas vias mais gratificantes.

Cumprimentos.